No verão de 1973, um modelo chamado Tom Moulton estava em uma festa na Ilha do Fogo em Nova York. Um DJ estava tocando soul music, mas as músicas não estavam funcionando bem na pista de dança. A cada três minutos o som parava, outra faixa começava a tocar repentinamente e as pessoas perdiam o ritmo. A partir dessa observação, Tom teve a idéia de fazer versões mais longas das músicas para serem mixadas nas pistas de dança. Semanas depois de finalizar as novas versões, começou a receber ligações de pessoas interessadas no seu trabalho. Foi assim que surgiu o início de uma cultura que não para de crescer até os dias de hoje: a cultura do remix.

O remix se tornou uma nova forma de arte e ganhou popularidade rapidamente. Diversos produtores passaram a ganhar destaque através de suas remixagens. O que começou apenas com o objetivo de adaptar músicas para funcionarem nas pistas através de extended versions, foi se reinventando e ficando cada vez mais criativo. Essa nova cultura recebeu tanta aceitação que diversas versões remixadas ficaram mais conhecidas do que as originais.

Exemplos de remix que receberam mais destaque que a música original

1. Prayer in C – Robin Schulz

Quando Lilly Wood and The Prick lançaram o indie pop Prayer in C, em 2010, não imaginavam que a música só estouraria quatro anos depois. Dessa vez em uma versão totalmente repaginada e dançante produzida por Robin Schulz, a versão remixada chegou ao topo das paradas musicais em mais de 20 países, sendo destaque na Europa, Oceania e, é claro, nas baladas e rádios brasileiras.

2. I Took a Pill in Ibiza – Seeb

Originalmente lançada por Mike Posner em estilo folk, a música ganhou uma roupagem completamente diferente nas mãos do trio norueguês Seeb. A versão remixada tem quase 1 bilhão de visualizações em plataformas como o Youtube, e dominou as baladas e paradas de sucesso ao redor do mundo. 

3. Summertime Sadness – Cedric Gervais

Embora seja uma cantora já consagrada no cenário musical, Lanna Del Rey viu a sua música Summertime Sadness decolar nos charts globais após o remix do produtor Cedric Gervais. A versão é atualmente o maior hit da cantora em plataformas digitais como o Spotify.

4. You & Me – Flume

A música You & Me foi originalmente lançada em 2013 pelo Disclosure, porém foi o remix do artista Flume que fez a canção ganhar destaque global. Embora Flume já possuísse uma carreira consolidada na música eletrônica, esse remix possibilitou maior ascensão e popularidade do projeto para o público em geral.

5. Cinema – Skrillex

Artista consagrado pela música eletrônica, Benny Benassi lançou o single Cinema em 2011. A canção foi remixada por vários artistas, mas foi a versão de Skrillex que conquistou maior atenção do público. O sucesso foi tanto que ganhou o Grammy de Melhor Remix, Não-Clássico em 2011.

6. I Follow Rivers – The Magician

I Follow Rivers foi originalmente gravado por Lykke Li. A versão do The Magician foi lançada em 2011 e é tocada até hoje nas rádios e baladas. O remix de I Follow Rivers permanece como a música de maior destaque dos dois artistas.

7. Waves – Robin Schulz

Outro grande sucesso de Robin Schulz é a música Waves. Originalmente criada pelo cantor holandês Mr. Probz, a canção tinha um andamento mais lento e acústico que a tornou bem conhecida pelos países baixos. No remix, Robin acelerou o BPM e fez do hit dançante mais um dos seus grandes sucessos nas paradas musicais de vários países, incluindo Áustria, Suécia e Reino Unido.

Hoje em dia, remix e música eletrônica são praticamente inseparáveis. Assim como DJs e produtores, os maiores DJs do mundo são também excelentes remixers. Produzir remixes é uma excelente ferramenta para novos produtores ganharem reconhecimento e mostrarem sua identidade ao dar uma nova cara para uma música já existente.

Para receber mais notícias como essa, se inscreva na nossa newsletter. Leia também nosso artigo sobre como o direito autoral está relacionado com remixes e covers.